pßgina inicial
nossos produtos
espašo mulher
espašo crianša
cartŃo virtual
papel de parede
receitas
saiba mais sobre o aš˙car
fale conosco
nossa empresa
 

Volta às aulas: período de adaptação para filhos e mães



 
 

A volta às aulas é uma fase em que os pais precisam recolocar seus filhos no ritmo escolar. E quando a situação é a primeira vez da criança, pode haver outras dificuldades. Principalmente hoje em dia, quando elas vão para a escola cada vez mais cedo. Enquanto umas mal esperam para viver a aventura de conhecer colegas e professores, outras choram por não querer ficar na sala de aula, longe dos pais, com gente estranha.

Esses casos são freqüentes e quem lida com o assunto no dia a dia tem dicas para orientar pais e mães, principalmente os de primeira viagem. A psicóloga Daniele Zoéga, diretora educacional de uma escola de Educação Infantil e Ensino Fundamental, acompanha de perto o período de adaptação de crianças de dois a 10 anos.

Ela explica que, normalmente, a fase mais complicada para a criança é dos dois aos três anos. “Nessa faixa, ela requer uma atenção especial. Os horários de dormir e acordar são diferentes. Por isso é importante que não fiquem o período todo na escola, para irem se adaptando aos poucos”, aconselha.

A fase mais difícil, de acordo com a experiência de Daniele, não passa de três ou quatro dias. Até lá, a escola permite que os pais fiquem por perto – há estabelecimentos que não adotam essa conduta. “Quando a criança vê que a mãe está lá, que a sala tem coisas que ela gosta ou que não há outras mães no local, ela vai ficando mais à vontade”, diz.

E se o choro não cessar? A psicóloga afirma que o melhor é ligar para os pais virem buscar. Mas é bom lembrar: essa adaptação depende dos pais, que devem estar atentos para não ceder aos apelos. “Depois, a tendência é a criança querer voltar para a escola”. Aí a situação até se reverte. Tem criança que chora porque quer ir à escola todos os dias.

Em outros casos, quem chora é a mãe, pois vê que o filho “cresceu” e demonstra certa independência. Ela também precisa de adaptação. “Às vezes o filho está bem e a mãe se mostra insegura. Cuidado: essa insegurança pode ser passada para a criança”, alerta.

Dicas:

* Envolva a criança em sua nova vida escolar. Deixe-a visitar a escola antes das aulas, participar da escolha do material e da compra do uniforme, ajudar a preparar a mochila.
* Jamais minta para a criança.
* Mostre que seu filho vai aprender muita coisa, vai brincar, conhecer novos amigos. É preciso estimulá-lo, fazer da sua ida à escola um evento.
* Conversar sobre a escola é legal, mas sem pressionar. Senão, o diálogo se torna um interrogatório. Tem criança que não tem o hábito de falar, porque em casa ninguém conversa com ela. É importante que a mãe também fale do seu dia para a criança.

 

Leia também:
Filhos e férias
Educação: a importância da música na formação das crianças

Quando os filhos deixam de ser crianças
O papel do homem na educação dos filhos
Férias e descanso: cuidado para não cair na rotina
Vida a dois: o namoro no casamento
Tarefa: educar os filhos
Mães e filhos: atenção em dobro
Relação com os filhos: os perigos da internet
Filhos em férias: o que fazer com eles em casa?

. espaço mulher .